ARTIGOS

O ato de comer

8 de novembro de 2014

ato_comer

Você tem fome de quê?

A alimentação interessa a todos e nós somos movidos a comer muito mais por sensações do que por decisão consciente.

O homem nasce com a capacidade de perceber objetivamente a fome e a saciedade, mas por efeito de vários condicionamentos, a maioria das pessoas adultas não consegue “ouvir” seu organismo dizer quando necessita de alimento e quando está satisfeito.

O ser humano, quando bebê, chora se tem fome e recusa alimento quando está satisfeito.

O adulto desaprendeu isto é, come porque é hora, porque o alimento é apetitoso, bonito e muitas vezes, porque o meio social assim exige, determinando alguns alimentos como necessários para o destaque social de um indivíduo.

Para comer, devemos usar os cinco sentidos que temos, visão, olfato, tato, paladar e audição, isto porque cada um destes sentidos tem papel fundamental na promoção da saciedade.

Na maioria das vezes, o hábito alimentar desenvolvido desde a infância determina tanto a magreza quanto a obesidade na vida adulta. Isto porque inúmeros estudos científicos mostraram que somente cerca de 5% dos casos de obesidade tem causas patológicas, os 95% restantes são originados do mau hábito alimentar.

Toda dieta deve agradar e não punir, deve oferecer trocas e não restrições severas, deve oferecer qualidade e não somente quantidade.

O papel da nutrição não é simplesmente melhorar o cardápio, ou oferecer “quites“ de cardápios para vários dias, mas promover uma mudança de comportamento no indivíduo através de uma “reeducação nutricional” que lhe proporcionará o poder de entender e elaborar suas refeições na variedade e nas quantidades adequadas para a prevenção, manutenção ou tratamento de distúrbios nutricionais.